10 fontes de hidratos de carbono que ainda não tentei

Consumir sempre as fontes de carboidratos mais conhecidas e tradicionais pode ser monótono e chato. No entanto, existem muitos alimentos que podem nos ajudar a trazer variedade e novos sabores à nossa dieta, sem perder os nutrientes necessários Seguro sabemos que o arroz, a batata e a farinha de aveia são grandes fornecedores de hidratos de carbono, mas que não podemos viver só à base de refeições que os incluam. Por sorte, podemos encontrar em qualquer supermercado, alimentos alternativos e igualmente saudáveis. Só precisamos conhecê-los um pouco. A quinoa tem um sabor suave e crocante. É uma grande fonte de hidratos de carbono, livre de glúten e além de ser muito saborosa, traz uma impressionante quantidade de benefícios. Os principais nutrientes que ele proporciona são: proteínas, fibras, ferro, ácido fólico, magnésio e ácidos gordos ómega-3. Por outro lado, a quinoa é uma proteína completa, ou seja, contém todos os 9 aminoácidos essenciais. É fácil de digerir e um substituto adequado para o arroz, massas ou batatas. Se você gosta de ir ao ginásio, a quinoa vai se tornar uma grande vício. É um prato tradicional, feito a base de sêmola de trigo. É um elemento básico da cozinha do norte de África e é usado principalmente como base para outros pratos com vegetais, carne, ou outras fontes de carboidratos. Na maioria das zonas ocidentais, o cuscuz é vendida pré-cozido, cozido no vapor e seca, o que é uma opção imediata para a consumir. Assim como a quinoa, é um ótimo substituto do arroz, massas, batatas e você pode adicionar a saladas, pratos de carne ou ingerir como forro independente. Os mijos formam um grupo de plantas de semente pequena que são cultivadas em todo o mundo. Tem uma curta temporada de cultivo sob condições de seca e a altas temperaturas. É um grão que pode ser preparada como um cremoso purê de batatas ou esponjoso como o arroz. O milho pode ser uma grande adição a muitos alimentos. É um grão pequeno, com forma redonda rica em cobre, manganês, fósforo e magnésio. Pode servir como uma refeição de pequeno-almoço, como a aveia, ou então, adicioná-lo aos pães ou bolos. É usado, principalmente, como farinha em muitas refeições. O trigo sarraceno é também utilizado como uma alternativa ao arroz. Pode consumir-seja tostado ou torrado mas tem um sabor terroso e intenso. O trigo é um alimento muito completo, que traz grandes benefícios nutricionais. É alto em antioxidantes, minerais como zinco e cobre, ferro e tem os 9 aminoácidos essenciais, o que o torna uma proteína completa, de fácil absorção. É por isso que representa uma excelente opção proteica para aqueles que levam uma dieta vegetariana. Pode ser consumida em forma de farinha, já que não contém glúten. Muitas vezes se mistura com farinha de trigo, para a elaboração de panquecas, bolos, pães e outros produtos assados. Também poderá comprar macarrão soba japoneses, que são feitas de trigo sarraceno. A cevada é um dos alimentos que mais contém fibra. É também elevado em antioxidantes, vitaminas e minerais, mas tem um capacete não comestível que deve ser removido durante a fabricação. A cevada pode ir além de apenas um ingrediente de sopas em lata. Você pode cozinhar um prato de acompanhamento, de incluí-lo no pão, convertê-lo em mingau, e até mesmo usá-lo como farinha para algumas receitas de bolos. O taro é uma raiz subterrânea com amido conhecido como cormos e se encontra principalmente na Ásia, ilhas do Pacífico, da África Ocidental e as regiões amazônica da América do Sul. Outros nomes desta raiz comestível são Kalo, malanga, e a orelha de elefante. Tem uma textura crocante que se torna suave e comestíveis quando cozido, e tem um sabor a noz como as castanhas de água. Fornece mais calorias do que um papa, é baixa em gordura e livre de glúten. Além disso, contém grande quantidade de fibras, antioxidantes, vitaminas e minerais, tais como a vitamina a, complexo B, zinco, magnésio, cobre, ferro, manganês e potássio. O taro é usada como legume por seus bulbos, folhas, caules e folhas. O sagu é um amido extraído a partir do centro do caule de palma de sagu. É servido tradicionalmente filmado em bolas ou usado como uma pasta para preparar panquecas, biscoitos ou pães. Tem muito pouca proteína, mas quantidades significativas de cálcio e ferro. Além disso, pode ser utilizada como farinha para cozer ou bem, ferver em uma pasta. É um tubérculo engomadas que tem um sabor doce. Muitas pessoas provenientes de África, Ásia e América do Sul utilizam-no como um alimento básico, e como uma grande fonte de carboidratos. Cresce melhor em climas tropicais e só se deve comer depois de cozido. É baixa em gordura, livre de glúten, uma boa fonte de vitamina K e vitaminas do complexo B, com alto teor de zinco, magnésio, cobre, manganês e potássio. A mandioca pode substituir sem problemas as batatas na maioria dos pratos. Mais comum na Europa, Médio Oriente e da cozinha indiana, é um cereal feita de vários tipos diferentes de trigo de trigo duro. Tem sabor a noz e pode ser usado em sopas, produtos para panificação, enchimento, e em inglês. Você também pode adicionar os pães e saladas e pode ser um ótimo substituto de grão inteiro de arroz ou de outros amidos. Tem uma quantidade de calorias significativamente mais elevada do que uma batata, mas é uma grande fonte de vitaminas do complexo B, ferro, magnésio e zinco. Também é conhecido como o trigo, macarrão ou "trigo duro". Conta com um alto conteúdo de proteína que também é utilizado na massa e baixo teor de glúten. Pode consumir-Se como base de sopas, recheios, muitos sobremesas e bolos. Também é uma boa adição para as pizzas e bolos. Na América é principalmente usado para a fabricação de produtos de massa.