Não dormir bem pode ter efeitos graves na sua saúde

Os estudos médicos e cientistas dizem que não dormir bem pode ter graves consequências para o nosso bem-estar físico e psicológico. Estes especialistas recomendam, também, um intervalo entre 7 e 8 horas diárias, para evitar os efeitos negativos que podem advir da falta de sono, irritabilidade, depressão, ansiedade ou dores de cabeça, entre muitos outros. Causas de não dormir bem. Infelizmente o frenético ritmo de vida atual nos empurra para adquirir hábitos, nem sempre saudáveis para nós, e no meio deste caos nós encontramos tempo para descansar adequadamente. Desta forma desenvolvemos facilmente problemas de insônia. Em primeiro lugar temos de distinguir, em linhas gerais, entre os dois tipos de insônia: 1. Transitório: ocorre durante um curto período de tempo inferior a um mês e pode causar insônia crônica. 2. Crônica: se prolonga para além de seis meses e pode chegar a se tornar um grave problema para a nossa saúde. Não dormir bem nos priva de um descanso adequado, o que acarreta graves consequências para o nosso estado físico e anímico. As causas que ocasionam um ou outro podem ser muito variadas e de natureza diferente. As dividimos em três grupos: 1. Causas orgânicas. Incluem doenças e seus sintomas, como desconforto ou dores físicas. Também distúrbios do metabolismo (hormonais, digestivos, neurológicos, etc.). 2. Causas externas ou ambientais. Referem-Se aos maus hábitos alimentares (consumo excessivo de açúcar, cafeína, tabaco, álcool...) e os ambientes inadequados. Por exemplo, ruídos no nosso espaço de descanso ou outros estímulos sensoriais. As alterações de horários e rotinas repentinas podem causar distúrbios do sono. 3. Causas emocionais ou psicológicas. A insônia é dado, muitas vezes, por situações de stress, ansiedade, tristeza e outros desequilíbrios emocionais e psicológicos. Efeitos colaterais de não dormir bem Não dormir bem nos priva de um descanso adequado, o que acarreta graves consequências para o nosso estado físico e anímico. 1. Falta de concentração. O cansaço nos impede de concentrar-nos em nossos afazeres diários. E é que durante a fase REM nosso cérebro organiza e seleciona as informações adquiridas durante o dia, sem esse processo, custa-nos muito de adquirir novos conhecimentos. Isso também afeta negativamente a memória. Além disso, tudo isso aumenta o risco de sofrer acidentes. 2. Enfraquecimento do sistema imunológico. Se o nosso corpo não descansa corretamente, o sistema imunológico está enfraquecido. Com isso, aumentamos o risco de resfriados, gripes e infecções respiratórias. 3. Risco de sobrepeso e ansiedade por comida. Não dormir o suficiente, os níveis de hormônios grelina e leptina, encarregadas de regular o apetite, sofrem alterações consideráveis. Isso aumenta nosso apetite, pelo que o mais certo é que devemos consumir mais calorias durante o dia. Além disso, as células de nosso corpo, serão menos tolerantes com a glicose, o que favorece o aparecimento de diabetes. 4. Distúrbios psicológicos. A privação de sono faz com que nos sintamos mal emocionalmente, dando lugar a sintomas como irritabilidade, ansiedade, mau humor, fadiga, depressão e melancolia. Nossas reações diante das situações do dia-a-dia tornam-se desproporcional. 5. Doenças cardíacas. Os especialistas associam a falta de sono com o aumento da hipertensão e entupimento das artérias. Dormir pouco faz com que a nossa frequência cardíaca aumente, com o que o coração sofre pelo excesso de trabalho. 6. Envelhecimento prematuro. A pele parece altamente afetada pela privação de sono. É frequente o aparecimento de olheiras, rugas e manchas, já que os tecidos não podem regenerar-se adequadamente durante a noite e o processo de hidratação é insuficiente. 7. Maior risco de câncer. As interrupções contínuas durante a noite alteram o processo químico de macrófagos, células encarregadas de combater as células tumorais. Estimulam o seu crescimento, de modo que aumenta o risco de contrair alguns tipos de cancro, como o aparecimento de pólipos colorectal e o câncer de mama. Dicas para dormir bem Em casos graves, o melhor será que recorramos ao especialista, já que, às vezes, é necessária a administração de medicação. No entanto, sempre que nos seja possível, podemos testar previamente com algumas técnicas que nos ajudam a entrar em um sono mais profundo e reparador. Listamos algumas delas: 1. Respeitar os horários. É importante que nos autoimpongamos uma rotina diária de descanso, acostándonos e levantándonos à mesma hora todos os dias, sempre que nos seja possível. Além disso, é recomendável adquirir certos hábitos antes de ir para a cama, de forma que o nosso corpo assimile rapidamente que chegou a hora de dormir. 2. Jantar leve. Uma digestão pesada dificultar o descanso, por isso é melhor que cenemos de forma clara (cremes, saladas, peixe cozido, etc.). 3. Evitar alimentos ricos em cafeína e açúcar. Estes produtos dificultam o sono, por isso é recomendável evitá-los, pelo menos, durante a tarde, ou seja, a partir das 17:00 h. 4. Esporte moderado. O exercício aeróbico produz uma maior segregação de endorfinas endógenas, que constituem uma espécie de analgésicos naturais. Atingem o seu maior pico quatro horas após a atividade física, por isso aconselha-se ligar este momento com a hora de dormir. Por outro lado, disciplinas como yoga, tai chi ou meditação também favorecem o relaxamento. O Conocíais as conseqüências de não dormir bem?, haveis experimentado algum destes efeitos?