Por Que Engordamos? Principais Causas

Neste artigo, serão expostos os motivos que provocam, na maioria das pessoas, a acumulação de gordura e o ganho de peso. O saber desses pontos será de grande utilidade na hora de determinar uma possível aproximação ao plano que melhor vai vir para empreender a batalha contra a gordura! Uma das principais razões é, sem dúvida, a nossa nutrição. Existe muita confusão acerca do tema de dietas, mas o que se é certo, é que o mais adequado é adotar um estilo de vida saudável face à comida, a nossa nutrição. As dietas momentâneas e as de "moda" são remédios rápidos, mas para nada sustentáveis, e no momento em que se deixam, volta para o mesmo ponto. Este tipo de dieta só visam o objetivo de eliminar certa quantidade de peso, sem considerar que é verdadeiramente importante, os erros na alimentação, que são os que geram, principalmente, o ganho de peso. Com isso, somam-se os seguintes fatores que provocam esta acumulação, dramática, de peso, que obviando a perspectiva estética, colocam em sério tela de juízo a saúde da pessoa Enquanto que o exercício por si mesmo não é uma cura para a obesidade (o problema é a alimentação), se é verdade que permite poder comer mais quantidade de calorias, que no fim de contas, chega a compensar a falta de atividade. O que acontece é que se continuam a manter estes padrões alimentares, e reduz-se o exercício, a equação ficará descompensada a favor do aumento de peso... Quando somos jovens, temos um caráter mais ativo, possibilitado por várias circunstâncias, tais como não ter responsabilidades, não ter que ir para um trabalho, maior tempo livre, ... Diz-Se que os adultos colidir contra o muro ou parede de atividade, quando ocorre o nascimento de seu primeiro filho: o padrão de sono é perturbado, todo o foco da vida gira para o recém-nascido, para fornecer-lhe todos os cuidados necessários, e isso contribui para o sedentarismo (obrigado). No entanto, não faz falta ter um filho para que se de o mesmo caso. Se o hábito (mau) sedentário está enraizada na condição do adulto ou criança, será muito difícil romper com esse obstáculo. Neste tipo de pessoas, os 3 pontos seguintes são comuns: Neste sentido, a relação entre ganhar peso e a inatividade é frequentemente comparada ao eterno debate do ovo e da galinha: a inactividade provoca ganhar peso, ou é o peso ganho, o que leva a não realizar nenhuma atividade? Existe muita controvérsia a esse respeito, mas o certo é que cada pessoa se guia por seus compromissos, o stress, ... De todos modos, a contribuição do esporte é muito benéfico para a correta manutenção de um nível ótimo de saúde, e, por sua vez, a prática regular de uma atividade, aumenta a energia, sentindo ao mesmo tempo uma motivação para seguir com o plano proposta O corpo demanda uma série de nutrientes para manter o correto funcionamento do sistema completo. Se o corpo não recebe desses nutrientes, o mais provável é que os objectivos que traçamos não venham a cumprir e sobre tudo, o nosso estado saudável piorar, e abaixe a condição física. Comer não é apenas calorias e sentir-se "cheio". Alimentos de baixo valor nutricional, como a que está muito processada, não é sinônimo de receber uma alimentação correta. Em mudança, através de alimentos de qualidade, de alta densidade nutricional, levando a provocar sensação de saciedade, mas com a aposta segura de estar "alimentando" o nosso organismo. Este tipo de alimentos contêm um alto índice de vitaminas, minerais e fitoquímicos. O corpo é uma magnífica máquina, mas como tal, necessita de ferramentas para que seja reparada e trabalhos de manutenção... Para isso, o aporte de comida de boa qualidade, manterá o fornecimento nutritivo adequado A compulsão são, fundamentalmente, como a palavra indica, "atiborrarse" a comer, seja comida processada, como alimentos mais saudáveis, até sentir-se "cheio". Isto está relacionado com certas desordens, resultado da manutenção de um regime muito rigoroso, ou simplesmente por "perder o controle". Este fenômeno tem sido praticado, quase de certeza por todos, banquetes, festas, aniversários, buffets livres, no fim-de-semana, nas férias, em um navio de cruzeiro, ... De fato, nós podemos comer muito mais do que precisamos. Se você analisar suas tendências a estes compulsão, você pode ter a razão do por que do excesso de peso ganho nos últimos tempos: se você fizer uma média de comer um excesso de 300 a 500 calorias diárias, de segunda a sexta-feira, daria aprox. 1500kcal extras por semana. Agora o multiplicarmos por quatro semanas, 6000kcal por mês, que no decorrer de um ano => 72000kcal! Se 1 kg de gordura são 7700 kcal, você estará ganhando aprox. 9kg de grátis por ano!!! Já é possível verificar que, variando-se alguns hábitos, podem-se obter grandes resultados. Como por exemplo, se você tiver acabado de comer, e lhe apetece algo doce, em vez de ir para o armário dos doces, opte por uma fruta, e se no caso em que não se possa conter, em vez de 4 barras leva apenas 2... A questão é reduzir a quantidade de alimentos com estas características de modo progressivo. Se você está atravessando um período de estresse ou relacionado com algum sintoma depressivo, a melhor opção é o de afastar qualquer vestígio de produtos "sucata" de sua casa... Por outro lado, baseia a sua necessidade de acalmar a ânsia, através do exercício: dada uma corrida, sal com a bicicleta, ou vá dar um passeio, ..., ao final, esta necessidade é psicológica. Estes estão muito relacionados com as condutas e desordens alimentares que, às vezes, algumas pessoas realizam. No reino animal, existem poucas ações que geram estresse no próprio ser. Mas uma delas é a fome, que propicia a ativação de um mecanismo dentro do corpo que ilumina o modo de sobrevivência. É muito difícil não se sentir estressado hoje. O ritmo de vida marca uma constante em todas as pessoas, como ter ocupações, obrigações, ..., toda uma série de deficiências que geram este estado de desassossego, que finalmente se acalma cegándonos em comer a primeira coisa que tenhamos à mão... É, na realidade, endorfinas em resposta a essa refeição, e que, por sua vez, provocam a sensação de alívio e tranquilidade que faz não por um momento, de qualquer problema. Mas o verdadeiro "problema" pode vir depois, quando nós subamos para a balança. As calorias líquidas são muito sigilosas, são capazes de adicionar uma grande quantidade de calorias sem que se dê conta, e com isso contribuir para o ganho de peso e a obesidade. A menos que se preparar de forma caseira seus sumos e batidos, existe muito pouco aporte de valor nutricional importante, a partir de outras fontes. Até mesmo o suco, que é muito saudável, não é tudo, porque ficar com o extrato ou suco somente, é o mesmo que tomar açúcar, praticamente. Melhor optar por tomar a fruta inteira ou batidos. Invista um pouco de seu tempo, em analisar as calorias provenientes a partir de bebidas que fazes, sem que elas se dêem grande valor nutricional, apenas calorias de enchimento. Em seguida, substitui essas bebidas por outras que não contenham tanto excesso calórico, mas por fontes mais naturais. A água, a número 1. Do mesmo modo que observamos as calorias e ganho de peso em um ano a contar as calorias extras adicionados, neste caso, ocorre o mesmo. Reduz-se possível a metade desta dose... A questão da quantidade de carboidratos é a que gera mais controvérsia. Mediante a ingestão desse macronutriente, elevam-se os níveis de glicose sangüínea. Para eliminar esse excesso, o pâncreas libera insulina, em maior ou menor proporção. Esta glicose será armazenada na forma de glicogênio hepático e muscular, mas existe um limite que o corpo não pode armazenar mais. O restante é armazenado como gordura. Um pouco simplista assim contado, mas que não não tem nada de errado, é a fisiologia. O problema de hoje em dia, é que, a menos que sejamos umas pessoas muito ativas, não está justificado o grande aporte de hidratos de carbono, e até mesmo fazer caso as recomendações do 55-60% do total da dieta, de acordo com as organizações de saúde... Mas tal como avançam as doenças atuais, parece que vão perdendo a credibilidade...A resistência à insulina é um fator muito negativo para o organismo, e muito favorável para acumular gordura. Se você apresenta esta patologia, a célula muscular não é capaz de absorver um mínimo de glicose, o excesso volta a ser armazenado como gordura, ou dar lugar a patologias como o diabetes. Dentro do mundo do fitness está sempre presente o debate sobre se o aumento de peso se deve ao total calórico, ou a quantidade de carboidratos consumidos. A resposta, sob meu ponto de vista, vai ser controlar as calorias, e em seguida, deixar moderados, os hidratos de carbono, ajustando em função da atividade individual Apresentar um planing dietético pode ser a melhor forma de manter controlada a alimentação, conhecendo com antecedência os alimentos e as calorias que consumimos.Você pode realmente mudar a vida de qualquer um que pretenda modificar seus hábitos. Se você sabe que vai almoçar, jantar, preparar as refeições do resto do dia..., são maneiras de controlar, quase sem perceber, a sua ingestão calórica total, e a certeza de que através deste sistema manter o peso regulado. Os modelos fitness, fisiculturistas, tanto homens como mulheres, sabem bem dessa estratégia. Isso precisam manter um nível estético impecável durante todo o ano, apurando em determinados períodos, mas que se regem por estabelecer um planing nutricional que lhes facilite esta tarefa. É verdade que enquanto estiver a tomar quaisquer outros medicamentos sob determinados medicamentos, o controle do peso dispara, e você começa a ganhar. Em uma pesquisa realizada pela universidade de Glasgow, foram analisados um total de 25000 indivíduos, os quais tomavam medicamentos para combater problemas decorrentes de patologias psiquiátricas (como a olanzapina e clozapina) ganharam cerca de 10kg aprox. em quase 52 semanas. Também se observou que para aqueles pacientes que têm diabetes tipo II, que devem tomar insulina, ganharam cerca de 6kg em um ano. Em outros casos, a toma de antidepressivos causaram os ganhos de quase 4kg no mesmo período de tempo. Os medicamentos para o tratamento do risco de infarto do miocárdio, epilepsia, e pressão sangüínea provocam, em menor escala, qualquer ganho de peso. Os 3 grandes medicamentos que maior peso gerados durante sua administração são: olanzapina, os beta-bloqueadores e corticosteróides. O uso da pílula anticoncepcional também há a mulher ganhar peso, em alguns casos. Medicamentos com alto nível de estrogênio aumentam o apetite, assim como a retenção de líquidos Estima-Se que cerca de 90% das mulheres com menopausa ganham peso. No caso do homem, à medida que avança a idade, os níveis de testosterona são cada vez mais baixos. A testosterona trabalha atuando em regular os níveis de insulina e no metabolismo da glicose e gordura. Baixos níveis de testosterona promovem a resistência à insulina, diabetes, síndrome metabólica, e claro, ganho de peso.